Polícia Civil do Paraná dá orientação para pessoas evitarem ser vítimas de golpes

Da Agência de Notícias do Paraná

Polícia Civil do Paraná dá orientação para pessoas evitarem ser vítimas de golpesGolpe do bilhete ou do torpedo premiado, falso sequestro, carro quebrado, envelope vazio, confirmação dos dados e falsa casa na praia são alguns dos nomes dos principais crimes de estelionato combatidos pela Polícia Civil do Paraná. Para orientar a população a evitar cair nessas armadilhas, a Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) da Polícia Civil fornece dicas úteis.

“Quando a oferta é demais, desconfie. Ninguém está tão disposto a agradar uma pessoa desconhecida, ninguém é tão bom com quem não conhece. Desconfie se a pessoa é tão boa, do motivo dela estar fazendo de tudo para lhe agradar. Ninguém vai sair pela rua oferecendo dinheiro a troco de nada ou quase nada”, diz o delegado adjunto da DEDC, Matheus Laiola.

“Por exemplo, se você vai realizar um negócio, como comprar um imóvel, procure alguma pessoa que tenha conhecimento sobre o assunto: um advogado ou corretor de imóveis. Antes de tudo tenha muita atenção”, indica o delegado.

VÍTIMA – Segundo ele, muitos casos de estelionato não chegam ao conhecimento da polícia por vergonha da vítima, como, por exemplo, no golpe do bilhete premiado, em que a vítima tinha a intenção de ganhar dinheiro em cima do desespero dos outros.

Laiola explica que o estelionato é crime previsto no Código Penal (artigo 171), com pena de prisão de até cinco anos. “Neste crime não há violência nem grave ameaça. A arma do estelionatário é o poder de convencimento, a persuasão”, afirma ele. “Estelionato vem da palavra stellio, que é um camaleão, que muda de cor para enganar suas vítimas”, complementa.

Abaixo, algumas dicas para ficar longe das tentativas de golpistas:

BILHETE PREMIADO: Caso apareça alguém com um bilhete de loteria premiado, desconfie. É um golpe. O golpista diz que está precisando de dinheiro de maneira rápida, e, com a ajuda de outras pessoas (também estelionatários), enganam a vítima, que por sua vez dá uma quantia em dinheiro e fica com o suposto bilhete, que de premiado não tem nada.

TORPEDO PREMIADO: A vítima recebe mensagens de celular informando que ganhou um prêmio. Ela entra em contato com o número e acaba colocando crédito para algum número de celular ou mesmo depositando dinheiro em determinada conta. Os estelionatários também utilizam nomes de programas de televisão para enganar as vítimas.

FALSO SEQUESTRO: A vítima recebe uma ligação. Do outro lado da linha alguém diz que está em poder de seu filho e exige dinheiro para libertá-lo. A pessoa não pode se apavorar, devendo fazer contato com a suposta vítima do sequestro. Outra dica: peça para o “sequestrador” perguntar ao “sequestrado” algo que só ele saiba, como o nome do seu cachorro, o número do seu celular, time de futebol preferido.

CARRO QUEBRADO: O estelionatário se passa por parente ou conhecido da vítima, dizendo que está com o carro quebrado e que precisa de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. Acreditando que o parente ou conhecido está com dificuldades, a vítima realiza o depósito bancário ou ainda coloca crédito de celular para supostamente realizar contato com a seguradora.

ENVELOPE VAZIO: típico golpe realizado em transações comerciais, como na compra e venda de produtos (por exemplo, carros e celulares). O estelionatário faz a compra de determinado produto, realizando o pagamento via depósito em um envelope sem o dinheiro. Ele apresenta o suposto comprovante de pagamento, a vítima entrega o produto, descobrindo mais tarde que sofreu um golpe, pois o envelope estava vazio. Dica para não cair neste golpe: confirme junto à instituição financeira se o valor depositado foi devidamente descontado ou se está bloqueado. Se estiver bloqueado, trata-se de golpe.

CONFIRMAÇÃO DE DADOS: O estelionatário liga para a vítima passando-se por funcionário de determinada empresa, dizendo que precisa que a vítima confirme alguns dados para fins de atualização do sistema. A vítima passa os dados e o estelionatário os utiliza para transações comerciais em nome da vítima. Dica para não cair neste golpe: nunca passe seus dados por telefone.

FALSA CASA DA PRAIA: típico golpe realizado no final de ano. O estelionatário coloca anúncio em algum site, ofertando uma casa para alugar na praia, com fotos e preço atrativo. A vítima entra em contato com o estelionatário, dá uma entrada (sinal) e depois o estelionatário some. Para não cair no golpe, não alugue um imóvel de quem não é profissional na área (corretor de imóveis). As informações são da Agência de Notícias do Paraná.

Anúncios

Os comentários são de única responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do editor do blog. Se achar algo que viole nossos termos de uso, nos avise.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s